10 razões para ter uma lâmpada de sal do Himalaia em cada sala da sua casa

Antes de ver os benefícios para a saúde do uso de lâmpadas de sal Himalayas em sua casa, pode ser útil primeiro ter uma breve lição de química:

Toda a matéria (o corpo humano, o ar, a água, etc.) é constituída por moléculas que são feitas por átomos, compostos por três tipos de partículas: prótons (carga positiva), elétrons (carga negativa) e nêutrons (nenhuma carga). Os elétrons orbitam suas moléculas como planetas giram em torno de uma estrela. Ocasionalmente, um elétron voa e, quando o faz, ele deixa um íon com carga positiva cujo único propósito na vida se torna preencher o vazio deixado por seu pequeno elétron perdido. Em outras palavras: quer roubar um elétron de reposição de uma outra molécula. Devido às diferenças na estrutura molecular (número de elétrons na órbita mais distante, força e estrutura de ligações de elétrons, etc.), alguns materiais perdem elétrons muito mais facilmente do que outros.

“Um íon é um átomo ou molécula em que o número total de elétrons não é igual ao número total de prótons, dando ao átomo uma carga elétrica líquida positiva ou negativa”.

Os íons negativos ocorrem com mais freqüência na natureza e muitas vezes são criados por coisas como tempestades com raios, luz solar, cachoeiras e ondas oceânicas. A água corrente é considerada a maior fonte natural de íons negativos e pode ser uma das coisas que contribui para o aroma refrescante das cachoeiras e da praia. Na verdade, esta é uma das razões pelas quais as pessoas muitas vezes relatam se sentirem renovadas ou mais leves após uma tempestade ou na praia.

Com esta compreensão básica dos comportamentos de íons positivos e negativos claramente em mente, vamos dar uma olhada nos 10 melhores benefícios da lâmpada de sal do Himalaia.

1) Lâmpadas de sal limpam e desodorizam o ar

Provavelmente, o benefício mais conhecido – e por que a maioria das pessoas os usa – é devido ao seu incrível poder para remover pó, pólen, fumaça de cigarro e outros contaminantes do ar. “Mas como eles fazem isso”, você pergunta? “É apenas um grande pedaço de sal com uma lâmpada dentro, certo?”

Bem sim, mas não. Há muito mais do que isso.

As lâmpadas de sal do Himalaia purificam o ar através do poder da higroscopia, o que significa que eles atraem moléculas de água do ambiente circundante, depois absorvem essas moléculas – assim como as partículas estranhas que elas estão carregando – no cristal de sal. À medida que a lâmpada HPS se aquece do calor produzido pela lâmpada dentro, a mesma água se evapora de volta ao ar e as partículas de poeira, pólen, fumaça, etc. permanecem bloqueadas no sal.

2) Reduzos sintomas de alergia e asma

Como as lâmpadas de sal do Himalaia removem partículas microscópicas de poeira, caspa de animais, mofo, bolor e similares do ar circundante, colocar uma lâmpada ou duas nas salas onde você gasta a maior parte do tempo pode reduzir seriamente os sintomas de alergia. Mesmo as pessoas que sofrem de asma devem notar uma grande diferença após uma semana ou duas. (Na verdade, o sal rosa do Himalaia é tão bom para suas vias aéreas, que existem até inaladores HPS!)

3) Facilita a tosse

Quando a lâmpada de sal do Himalaia se aquece e começa o ciclo higroscópico de partículas no ar, também muda a carga das moléculas que são liberadas. (Lembre-se de nossa lição de química?) A maioria dos lares são preenchidos com íons carregados positivamente, que não são particularmente bons para a saúde de uma pessoa. Os íons positivos são criados por uma série de coisas, mas a principal fonte para a maioria de nós são nossos eletrônicos.

Um dos prejuízos para a saúde de respirar muitos íons positivos no ar é que os cílios (cabelos microscópicos) que alinham a traquéia tornam-se lentos e não funcionam tão bem para manter os contaminantes fora dos nossos pulmões. Como a lâmpada de sal rosa do Himalaia absorve água e partículas do ar, também leva ions positivos com elas. Então, quando o sal aquecido libera o vapor de água limpo de volta ao ar, ele também expulsa íons negativos que têm o efeito oposto em nossas vias aéreas – aumentando a atividade do cilio para manter seus pulmões limpos.

Em geral, isso significa que além de remover contaminantes do ar, as lâmpadas de sal rosa do Himalaia também ajudam seu corpo a filtrar o ar de forma mais eficientemente, assim as partículas estranhas que respirar não entrarão em seus pulmões.

4) Aumenta os níveis de energia

Dirigir em volta de um campo com as janelas baixas, passar um tempo na praia ou acampar nas montanhas, ou simplesmente tomar um banho pela manhã assim que levantar, são coisas que muitas pessoas consideram revigorantes. Não é coincidência que sejam todas atividades que nos expõem ao aumento das concentrações de íons negativos, como os gerados pelas lâmpadas de sal Himalayas. O fato é que os íons positivos esvaziam nossos corpos de energia. Infelizmente, é muito comum que tentemos diagnosticar o problema como algo completamente diferente.

Se você se sentir constantemente cansado e não sabe por quê, tente manter uma lâmpada de sal Himalayana na sala ou salas onde dispende mais tempo. Após cerca de uma semana,  deve notar uma diferença.

5) Neutraliza a radiação eletromagnética

Hoje em dia, a maioria de nós está vivendo em um oceano metafórico de radiação eletromagnética (EM) que flui de nossos produtos eletrônicos (isto é: televisão, computador, celular, tablet, aparelhos, sterio, etc.). Embora possam ser invisíveis, os efeitos a longo prazo da exposição ao EM podem ser bastante graves. A exposição constante à radiação EM é conhecida por aumentar os níveis de estresse, causar fadiga crônica e diminuir a resposta imune do corpo, entre outras coisas.

Ao emitir íons negativos no ar, as lâmpadas salinas do Himalaia funcionam para neutralizar a radiação eletromagnética. Mantenha uma ao lado do computador, da televisão e de quaisquer outros dispositivos elétricos que você use com freqüência para reduzir o perigo potencial para você e sua família.

6) Melhora o sono

Outro efeito colateral que resulta da exposição excessiva a íons positivos no ar é que eles roubam a sua qualidade de sono. Isso acontece porque essas partículas carregadas positivamente podem realmente reduzir o fornecimento de sangue e oxigênio ao cérebro, resultando em padrões de sono irregulares. As lâmpadas de sal rosa do Himalaia são geradores de íons negativos naturais, assim eles podem ajudar a reverter esse problema. Mantenha um ou dois ao redor do seu quarto para melhorar a qualidade do ar para que você possa dormir melhor a noite.

Lembre-se, mesmo se você não consegue dormir a menos que o quarto esteja totalmente escuro,  pode desligar a lâmpada na hora de dormir. Basta deixá-la ligada o resto do dia para que possa fazer o seu trabalho enquanto estiver acordado. Pessoas em climas úmidos devem estar conscientes de que as lâmpadas HPS tendem a pingar quando o sal se torna frio. Definitivamente deve proteger as superfícies, colocando um prato embaixo e certifique-se de seguir as instruções de uso e cuidados que devem ser incluídos com a sua lâmpada!

7) Melhora o humor e a concentração

As lâmpadas de sal rosa do Himalaia são uma ótima maneira de aumentar naturalmente seu humor ou para ajudá-lo a relaxar no final do dia. Ao mesmo tempo e no lado oposto da moeda, as lâmpadas HPS são ótimas para melhorar a concentração. Novamente, isso se deve ao efeito dos íons negativos em seu corpo, melhorando o fornecimento de sangue e oxigênio para o cérebro e outros órgãos, além de proporcionar um aumento da serotonina – o neurotransmissor que nos faz (literalmente) sentir feliz.

8) Trata o transtorno afetivo sazonal

Além de gerar íons negativos que melhoram o humor e os níveis de energia, a luz suave e natural emitida por uma lâmpada de sal rosa do Himalaia está perto o suficiente para o brilho caloroso da luz do sol que elas podem até mesmo ser usadas para aliviar os sintomas do transtorno afetivo sazonal.

9) Reduz a eletricidade estática no ar

Embora não seja um “benefício para a saúde” à primeira vista, o estático é uma coisa incomodante. Isso causa estresse, constrangimento e frustração. Acontece aquele efeito estático quando você menos espera, quando está alcançando a maçaneta de porta, beijando seu marido ou esposa antes de dormir, ou tentando acariciar seu cão ou gato. Estática pode dar-lhe um dia de cabelo ruim, tornar impossível de limpar migalhas ou café do balcão da cozinha, e até mesmo que acidentalmente vá trabalhar com uma meia presa na parte de trás da sua camisa …

O ponto é, a eletricidade estática pode ser uma enorme dor e as lâmpadas salinas do Himalaia são uma maneira natural de neutralizar as partículas ionizadas no ar que o causam.

10) Fonte de Luz Ambientalmente Amigável

Por último, mas não menos importante: as lâmpadas de sal rosa do Himalaia são amigas do meio ambiente. Embora apenas uma estimativa, as reservas das quais o HPS é minado medem em algum lugar entre 80 e 600 milhões de toneladas e prevê-se que dure pelo menos mais 350 anos à taxa de extração atual. A base de uma lâmpada HPS geralmente é esculpida a partir de uma madeira sustentável como o neem. Algumas lâmpadas usam uma lâmpada de baixa potência que consome muito pouca energia enquanto outras são alimentadas por uma vela acesa.

As verdadeiras lâmpadas de sal Himalayas são realmente blocos sólidos de sal Himalayas que foram esculpidos à mão. As profundas minas subterrâneas em Khewra, no Paquistão, localizadas na borda ocidental das montanhas do Himalaia, são a única fonte de verdadeiro sal rosa do Himalaia.

(Fonte: tradução livre do naturalliving

Anúncios

Jenipapo cai de maduro

Uma expressão que é verdadeira 🙂 Fruto que bem poucos conhecem, mas para a minha memória afetiva é componente importante! Tem um paladar único. Tem um cheiro forte e atrai a atenção e o apetite com um forte perfume frutado de maçãs, ameixas ou marmelos.

0 Jenipapo possui um elevado conteúdo de ferro. Por isso, é aconselhável um grande uso dessa rubiácea. Também possui cálcio, hidratos de carbono, calorias, gorduras, água, e às vitaminas B1, B2, B5 e C.

O jenipapo, à primeira prova, muita gente estranha a combinação  do cheiro ácido com o perfumado e falta de doçura na fruta in natura, mas diante de uma travessa de jenipapada – fatias da fruta descascada, sem pele e sem sementes, apenas polvilhadas com açúcar, ninguém se contenta com pouco. É viciante, já adianto. O aroma indesejado é imediatamente trancafiado em outro compartimento, sendo superado por substâncias voláteis florais e frutadas das mais agradáveis.

Jenipapo pra tingir pele de preto ou comida de azul tem que ser imaturo, ainda duro, mas a fruta para comer, fazer doce, bolinha, passa ou licor, tem que cair de maduro. Geralmente é colhida embaixo das árvores e, mesmo com a queda, amassa mas não quebra. Por esta característica, não é um fruto que atrai pela aparência na banca de frutas. Você passa, sente um perfume frutado delicioso e quando vai ver de onde vem se depara com um saco, bacia ou balde cheios de frutos amarronzados e amassados. É difícil acreditar que não estejam passados, apodrecidos.

Só com a intimidade é que vamos desmontando os mitos. A polpa tem uma membrana fina aderida, facilmente removível com um descascador de legumes, e realmente cede à pressão quando a apertamos, mas o que amassa é o miolo com as sementes, pois a polpa com cerca de 1 centímetro de espessura tem consistência macia, mas resistente como uma borracha.  E é incrível como um fruto assim pode ser resistente. Fora da geladeira, sem se desintegrar, pode durar dias. Na geladeira, até um ano resiste sem perder a dignidade.

Todas as partes do jenipapeiro são muito usados na medicina popular contra males diversos – tosse, anemia, contusões, luxações entre outros -, por isto a planta Genipa americana é uma espécie amplamente estudada e os componentes dos frutos já tiveram atividade antibiótica comprovada em testes in vitro contra várias espécies de bactérias. Talvez isto explique a longa vida de prateleira que o jenipapo exibe. Ele mumifica mas não estraga – a não ser que esteja com ferimentos na casca e isto pode ser um caminho para a deterioração.

Assim como o café, o jenipapo pertence à família das Rubiáceas e não é exclusividade brasileira, já que está amplamente distribuída por todas as áreas tropicais e subtropicais da América Latina. Entre nós, podemos encontrá-lo da Amazônia a São Paulo. No Nordeste é comum e alguns preparos são populares especialmente na Bahia. No Recôncavo, por exemplo, são famosas as bolinhas de jenipapo – a polpa sem pele e sem sementes passada em máquina de moer e cozida com açúcar até o ponto de enrolar, quando deve estar bem escura. Passadas em açúcar, estas bolinhas são tentações disputadas nos mercados. E o São João na Bahia não é festa se não tem licor de jenipapo. Sem contar os refrescos que podem ser feitos deixando o miolo da fruta na água para soltar a mucilagem que envolve as sementes – estas costumam ser descartadas apesar do intrigante sabor apimentado quando mordidas.

A fruta crua, fatiada e polvilhada com açúcar

Bolinhas de jenipapo

Crédito: come-se

Maquiagem: Saiba quais são os erros mais comuns e como evitá-los

A maquiagem tem a finalidade de nos deixar mais bonitas, com aparência glamourosa, mas nem sempre isso acontece, quando não se evita alguns errinhos até mesmo por falta de prática!

Achei esse artigo muito interessante, pois reúne tudo num só lugar, publicado pela revista Glamour, por Felipe Gomes.

BASE Foto: revista Glamour

1 Base
Um dos grandes erros é a escolha da cor, relacionando o tom da pele com o da base. “Tanto as pessoas com a pele muito clara, como as com a pele escura possuem dificuldades para encontrar produtos que sejam compatíveis com a tonalidade de cada um”, conta a maquiadora Kátia Freire; “O que mais acontece: as pessoas bem claras ficarem, ou amarelas, ou rosadas, e as pessoas com a pele mais escuras ficarem acinzentadas ou avermelhadas.”

Outro grande problema é que as pessoas testam as bases diretamente no rosto, sem comparar com o colo. Alerta: O uso do protetor solar deixa a pele mais clara do que realmente é, o que acaba alterando o resultado final da base. “Ao escolher o produto, teste sempre no colo e pescoço. A cor precisa meio que ‘desaparecer’. Quando ela não se destacar do seu tom de pele, esse é o seu tom”, explica Kátia.

CORRETIVO (Foto: Thinkstock)

2 Corretivo
Aqui é 8 ou 80. O corretivo pode salvar, mas ao mesmo tempo pode destruir completamente sua maquiagem. “Muita gente acha que, para cobrir uma olheira escura, precisa do corretivo mais claro, achando que o pigmento tem o poder de disfarçar uma ‘mancha’. Ao contrário do que as pessoas imaginam, não é”, alerta Kátia. O corretivo deve ser exatamente do tom da sua pele, ou até um mais claro. É ideal que se tenha dois tons de corretivo para que você faça uma mistura e consiga chegar exatamente na cor ideal. Você também pode usar os corretivos coloridos, que tem a função de neutralizar as olheiras. “As pessoas têm que entender que o tom do produto precisa ser o mais próximo da sua pele. Com uma cor mais clara, você só vai conseguir mais destaque para essa região e o famoso ‘panda invertido'”.

Para fazer certo: Você não precisa fazer aquele “V”, que deixa corretivo próximo a bochecha. Isso faz parte de técnica de contorno e não tem nada a ver com esconder olheiras. Para facilitar na hora de achar o tom ideal, coloque algumas gotas no dorso na mão com o dedo anelar, que não tem muita força, pegue o produto e vá dando leves batidinhas desde o canto interno – que é onde normlamente a olheira está concentrada – e vá levando para o externo.

SOBRANCELHA Foto: Revista Glamour

3 Sobrancelha
“O indicado é você fazer um leve sombreamento, que deve ser feito com um bom lápis de sobrancelha, ou com um duo de sombras”, conta a maquiadora. “É muito bom que esses produtos sejam próprio para as pestanas, porque elas já possuem um pigmento mais acinzentado, que é o que deixa os pelos mais naturais.”

Outra dica é respeitar o desenho natural da sua sobrancelha. Nada impede de você corrigir algumas falhas, mas mudar o formato é algo muito sério. “Quando você mexe nelas, você muda totalmente seu rosto e sua expressão”, conta Kátia.

Para não errar, primeiramente penteie os pelos da região. Corriga com um lápis apenas as falhas, se você tIver – pode ser com sombra para a região também. Depois, aplique uma máscara de cílios incolor para que os pelos fiquem no lugar.

BLUSH Foto: Divulgação

4. Blush
Muitas pessoas tem dificuldade em achar um blush que harmonize com seu tom de pele e acabam recorrendo a cor pink – resposta errada! Kátia ainda alerta quanto a fazer contorno com o produto, aplicando-o na diagonal, da bochecha a orelha, o que deixa o look artificial demais.
“Lembre-se: blush deve devolver o ar de saúde retirado pela base. Use o pincel, retire o excesso no dorso da mão e aplique-o em movimentos circulares e ascendentes. Começe pelo centro da maçã e espalhe bem para que ele não fique localizado”, explica.

SOMBRA Foto: Google

5 Sombra
Um dos grandes erros é que as pessoas acham que uma sombra discreta é uma sombra clara como bege, pérola, rosa claro ou branco. Nope! “O que acontece nesses casos é que as sombras claras evidenciam pálpebras caídas e gordinhas e as rugas, ou seja, a chance de errar é muito maior”, diz Katia. “Outro erro clássico são as sombras muito demarcadas, aquelas com junção de cores, mas que não há mescla entre si, parece um bloco. Normalmente a mais escura vem no canto externo do olho e as mais claras no interno.”

O truque certeiro é apostar sempre nas sombras em tons de marrom, porque elas são coringa e resultam em grandes efeitos. Já no caso das sombras blocadas, o ideal é que a divisão entre as cores fique esfumada e em degradê.

ILUMINADOR Foto: Imaxtree

6 Iluminador
Usar iluminador no lugar errado também é campeão de erro. Muitas mulheres uma grande quantidade do produto e não imaginam o efeito daquilo em fotos. “Você fica literalmente banhada de pigmento cintilante. A dica aqui é sempre aplicar com um pincel e antes de colocar na pele, bater o cabo no dorso da mão, ou até mesmo no ar, para que o excesso de pó saia das cerdas”, indica a profissional. Para não errar: ilumine maçãs do rosto, têmporas e canto interno dos olhos.

BATOM Foto: Google

7 Batom
Muitas vezes, tons de batons podem ser usadas de maneira equivocada. Se você tem o lábio muito fino e pequeno, evite cores escuras demais, o que deixa a boca muito menor. O mesmo vale para quem tem lábios mais volumosos: evite tons mais claros. “Se você você possui um tom de pele mais quente, aposte nos laranjas, vermelhos e rosas. Já se seu tom de pele for mais frio, use vinhos, marrons e vermelhos fechados”, entrega Kátia

 

10 idéias criativas para usar velhas janelas ou portas no jardim!

Muitas vezes o que nos falta é imaginação, mas a internet está aí para nos dá uma “mãozinha” com diversas inspirações e idéias. Eu, particuparmente, gosto muito de usar coisas velhas para decorar o jardim. Vou aos “yards sale” da vida caçando o que o povo não quer mais, então reciclo e uso, depende, posso usar também do jeito que está.

As janelas e portas velhas são ótimas para serem usadas de várias maneiras. Aqui estão algumas. Há várias maneiras de tirar o máximo partido do seu espaço sem gastar uma fortuna.

Sugestões com portas velhas, criando um espaço diferente e até uma mini-estufa

Suporte para ervas aromáticas

Uma janela virada servindo como moldura na parede para encaixar plantas.

Suporte para plantas decorativas

Um nincho de plantas em pleno jardim, pode ser uma estufa também.

Portas decorando espaço no jardim. Suporte para trepadeiras.

Uma bela moldura!

Outra sugestão…

Mais uma idéia…

Decorativa

 

 

14 Benefícios da Chlorella

Essas algas surgiram há mais de 2 bilhões de anos, são microscópicas e se desenvolvem em água doce (ph neutro).

De grande importância na oxigenação das células e no revigoramento do organismo, a chorella é conhecida como “a pílula do astronauta” – o que há mais moderno na ciência da alimentação.

A terapeuta ortobiomolecular, Kellen Calixto, da Clínica Haya, destaca: “Ela pode ser consumida em qualquer idade, sem restrições de uso”.

Confira os benefícios da Chlorella

1. Desintoxicação orgânica (inclusive de metais pesados como chumbo, mercúrio, alumínio e cádmio);

2. Regulação do ph sanguíneo e consequente aumento na oxigenação celular e intersticial, melhorando dores de cabeça, por exemplo;

3. Regulação da função do intestino, ajudando em casos de prisão de ventre e hemorroidas;

4. Melhora no metabolismo dos carboidratos, eliminando o cansaço e dando mais resistência;

5. Ajuda na eliminação de espinhas, acnes e alergias de forma geral;

6. Melhora nos problemas estomacais e favorecimento do balanceamento alimentar;

7. Melhora na circulação sanguínea, ajudando a remover o excesso de gorduras e normalizando o peso gradualmente;

8. Ajuda na prevenção de doenças degenerativas de ordem neurológica;

9. Amenização de efeitos colaterais de produtos alopáticos, como a quimioterapia;

10. Ajuda no tratamento da menopausa e suas consequências, como a osteoporose.

11. Quando consumida juntamente com a alimentação, minimiza fatores de intolerância alimentar.

Benefícios da Chlorella para crianças

No Japão, a Chlorella é utilizada na nutrição escolar como suplemento alimentar.

12. Melhora no desempenho mental das crianças;

13. Recalcificação de crianças que comem muito açúcar;

14. Auxílio no tratamento de crescimento retardado.

Fonte: vidaplenaebemestar